Raio-X 2015 e Planos 2016

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Apesar de já estarmos em Fevereiro de 2016, e o ano já estar finalmente começando (putz, de novo aquela piadinha que o ano começa depois do carnaval), quero compartilhar um pouco sobre como foi o ano de 2015 e alguns planos de 2016.

Como já citei algumas vezes, minha carteira de investimentos é composta por Renda fixa e Renda Variável, além de um pouco de moeda estrangeira (US$), porém no Blog eu controlo a rentabilidade (e fechamentos mensais) somente da carteira de renda variável. Neste post vou falar um pouco mais sobre meu patrimônio total.

Patrimônio


Meu patrimônio é composto por:

1) 4 Imóveis (1 para morar e 3 salas comerciais)
2) 2 Automóveis
3) Negócios (sócio em 2 estabelecimentos comerciais onde atuo somente como investidor)
4) Capital (RF, RV e US$)
5) Saldo de FGTS

De acordo com meu balanço patrimonial, veja a evolução do crescimento patrimonial.

Crescimento do Patrimônio Total*:

- 2015: +17,2%
- 2014:
+18,2%
- 2013: +16,9%

*São desconsideradas variações de valor de mercado de imóveis, automóveis e negócios, e os valores usados para comparação são sempre os valores de aquisição.

Considero que o crescimento do patrimônio no ano foi mais uma vez muito bom, em linha com o crescimento dos últimos 3 anos. Considerando que já tenho um patrimônio relativamente bom para os padrões brasileiros, manter a taxa de crescimento fica cada vez mais difícil, pois proporcionalmente a renda diminui com relação ao patrimônio.

A renda ativa em 2015 (fruto do meu trabalho e de minha esposa) foi praticamente a mesma de 2014. Porém, considerando a inflação do período, houve diminuição real da renda. Por outro lado, a renda passiva foi baixa, pois as 2 salas entregues durante 2015 não foram alugadas (maldita crise) e a rentabilidade dos investimentos em ações foi negativo.

Apesar de não ter sido um ano dos melhores, tive a oportunidade de manter meu padrão de vida, com algumas viagens com a família (inclusive uma internacional). Meu padrão de despesas é relativamente alto, mas tenho ciencia que este é o custo para manter um bom padrão de vida para uma família em uma cidade como São Paulo

Distribuição atual do patrimônio ao Final de 2015:

- Imóveis: 48,6%
- Capital: 32,7%
- Outras categorias: 18,7% (inclui automóveis, negócios, FGTS e saldo de empréstimos (credores))

Para efeito de comparação, ao final de 2013 esta proporção era a seguinte:

- Imóveis: 52,8%
- Capital: 25,4%
- Outras categorias: 21,8% (inclui automóveis, negócios, FGTS e saldo de empréstimos (credores))

Isso mostra que o crescimento do capital nos últimos anos tem sido maior que o do patrimônio em geral, fruto da renda ativa e da alocação prioritariamente em capital.

Capital

Distribuição RV x RF x Moeda Estrangeira (US$):
- Renda Variável: 37,5%
- Renda Fixa: 57,5%
- Moeda Estrangeira (US$): 5%

Crescimento do capital: 
+53,7%


Investimentos em Renda Variável (que são os investimentos da carteira divulgada neste blog)

Crescimento do capital RV: 
+11,1% (graças aos aportes!)
Rentabilidade RV: 
-9,33% (Ibovespa -13,24%)

A carteira de RV em 31 de dezembro de 2015 era a seguinte:



Veja abaixo gráfico histórico de rentabilidade da carteira RV comparado com Ibovespa, IPCA, CDI e a Meta de ganho de 4% a.a. real acima da inflação (IPCA)


clique na imagem para ampliar

É possivel reparar que a carteira tem movimento acompanhando o Ibovespa na maior parte do tempo. Este comportamento é esperado considerando a diversificação em diversos setores. Em alguns momentos houve um descolamento maior ou menor, mas de forma geral a carteira performa acima do índice nos últimos 4 anos.

Dada a situação, conclui-se que a performance da renda variável nos últimos 4 anos, comparada à Renda Fixa, foi horrível. Conseguir recuperar o “prejuízo” está sendo uma tarefa cada vez mais difícil, pelo menos no médio prazo.

Desde o começo de 2014 eu mantenho uma mesma estratégia de alocação em ativos de longo prazo, com poucas modificações na carteira. Acredito que a estratégia é consistente e tem respondido dentro do esperado. É muito importante tentar abstrair o fato de estarmos em um “bear market” ao analisar a situação, pois o clima de pessimismo pode influenciar a chegarmos a conclusões negativas.

Investimentos em Renda Fixa

A composição dos investimentos em Renda Fixa é a seguinte:

- Previdência Privada Empresarial**: 60%
- Tesouro SELIC (LFT): 27,4%
- Tesouro IPCA+ 19 e 35 (NTNB-Principal): 12,6%

**Eu sei que previdência privada não é o melhor investimento do mundo, mas a minha previdência é do tipo patrocinada pela empresa em que trabalho, onde eu deposito um percentual da minha renda e a empresa deposita outro tanto. Não posso sacar nada deste valor enquanto trabalhar na empresa. Devido ao longo periodo de trabalho na empresa, eu já tenho direito ao valor que é depositado pela empresa.

Sobre a estratégia, considerando as altas taxas de juros futuras e o bom volume de investimentos em pós-fixada (SELIC), que considero como “colchão de segurança”, tenho concentrado boa parte dos meus aportes em IPCA+ 35, visando “travar” as altas taxas de juros atualmente disponíveis.

Investimentos em Moeda Estrangeira

Como eu já havia mencionado no post Vai Pedir para a Dilma em 27/10/2014, devo manter parte dos meus investimentos em moeda estrangeira. Os investimentos nesta categoria são feitos através de remessas legais para conta nos EUA, conforme explicado aqui. A manutenção deste valor “parado” em US$ nesta conta tem o objetivo de manter parte do patrimônio em moeda forte, por segurança, e também visando minimizar a volatilidade dos gastos no exterior durante as viagens.

Objetivos para 2016

Patrimônio

Crescimento do patrimônio: de 15% a 20% (dependendo da performance do mercado)

Proporção Imóveis x Capital: Deve ser favorável para capital, pois os imóveis foram quitados e não pretendo ter grandes desembolsos de capital neste ano. Considerando obviamente que a renda permaneça em patamares semelhantes aos últimos anos.

Investimentos

Os aportes serão balanceados entre RV, RF e US$, portanto não deve haver grande modificação na proporção destes ativos. A performance do mercado também vai influenciar esta proporção ao final do ano.

O crescimento do capital deve ser alto (mais de 50%), caso tudo ocorra conforme o planejado.

Investimentos em Renda Variável

O objetivo de rentabilidade no longo prazo é de 4% a.a. real, portanto acima da inflação. Devido ao baixo rendimento nestes primeiros anos, é pouco provável acabar com o gap existente ao final deste ano. O objetivo principal é diminuir este gap com relação à meta, mas tudo vai depender do resultado do mercado financeiro como um todo para um ano bem complexo. Desta maneira estabeleci alguns objetivos para acompanhamento:

Objetivo 1: Ganhar do Ibovespa em qualquer circunstância (apesar de ter sido relativamente fácil ganhar do Ibovespa no passado, eu gostaria de saber como minha carteira se comportaria com a bolsa em alta)

Objetivo 2: Atingir 4% a.a. de rentabilidade real para o ano (considerando somente ano 2016)

Objetivo 3: Alcançar IPCA na rentabilidade histórica

O Objetivo 1 depende exclusivamente da minha competência em análise de empresas, já os demais dependem, acima de tudo, de resultados do mercado de ações do país de maneira geral).

Esclareço ainda que tenho ciência que a meta de 4% a.a. é conservadora, pois Tesouro Direto (NTN-B) tem pago mais do que isso no longo prazo, porém esta é uma meta de rentabilidade líquida (descontados impostos e taxas) e no longuíssimo prazo.


Conclusão

Destaco que após 4 anos de bolsa de valores, já considero que tenha acumulado uma boa bagagem e conhecimento, o que tem me mantido relativamente tranquilo neste momento de baixa e pessimismo geral. A metodologia adotada permanece Buy & Hold “passivo”, ou seja com alocação proporcional mantendo o balanceamento da carteira através de novas compras das ações que cairam mais ou subiram menos no período (ou ficaram pra trás).

A carteira está hoje com 15 empresas, todas com horizonte de investimento de longo prazo. Algumas como Vale e Gerdau vem apresentando resultados decepcionantes, o que me fez colocá-las em alerta no final do ano, com uma pausa nas compras, até que o cenário seja mais claro. Sei também que tenho que levar em consideração que são empresas cíclicas que podem estar simplesmente “ciclando”.

Com respeito ao patrimônio em geral, o que posso dizer é que estou muito satisfeito com a evolução (exceto as ações). Acredito que a performance permaneça consistente no futuro, considerando que não haja mudança significativa no cenário planejado.


Importante:

Este material tem propósito meramente informativo e educativo. Não consiste em recomendação financeira ou estratégica para investimentos. Para saber mais sobre as opções de investimento e receber recomendações, procure uma instituição financeira com profissionais habilitados.

17 comentários

  1. EI,

    Parabéns pela evolução. A sua carteira de ações é muito bacana e quando essa quadrilha disfarçada de partido sair do poder a Bolsa vai explodir!

    De toda forma, você ainda fica tranquilo sendo sócio de empresas de commodities?

    Eu cheguei a conclusão que elas não encaixam-se no meu perfil de investidor...

    Desejo sucesso para você em 2016.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. IL, espero estar aqui pra ver esta turma fora do palacio do planalto.
      Sobre commodities, não posso dizer que fico tranquilo, mas faz parte da minha estratégia. Além do mais, a alocação em commodities é relativamente pequena (menos de 10% da carteira).

      Obrigado pelas palavras. Lhe desejo sucesso também.

      Abraços

      Excluir
    2. EI,

      Eu também, rs. Vai ser um dos dias mais felizes da minha vida!

      Mudando de assunto, já viu esse post do VD sobre a CIEL3?

      http://viverdedividendos.org/papo-de-dividendos-ciel3/

      Posta a sua opinião lá!

      Abraços.

      Excluir
  2. Parabéns pelas metas e resultados, sabemos que um futuro melhor nos aguarda.

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  3. EI,

    Sua evolução de patrimônio está excelente. Como você mesmo disse, cada ano que passa fica mais difícil manter a mesma média, então, meus parabéns!

    Quanto a rentabilidade, por hora, devemos ignorá-la. Esta crise vai passar e premiar os disciplinados e pacientes.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PM, valeu!

      Realmente vai ficando mais complicado, mas conto também que em algum momento a renda passiva e o reinvestimento vão comecar a dar frutos.
      Sigo esperando a crise passar. Vamos ver.
      Abraços

      Excluir
  4. EI,

    Bacana .. realmente uma meta de 4% de longo prazo a cima da inflação tá complicado com esse governo estourando o país .. rs ... mas espero que dias melhores venham ..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Rodolfo. Se eu conseguir estes 4% aa em 20 anos, depois de passar por isso no início, vou ficar feliz.
      Abraços

      Excluir
  5. EI, estaria "tranquilão" no seu lugar. Parabéns pela evolução consistente a cada ano!

    Só discordo em relação a ter dois carros em SP. Mas, de repente são necessários.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. DH, tranquilão não dá pra ficar, pois tenho filhos pra criar. Acho que só vou chegar neste estágio de ficar tranquilo quando os filhos sairem da aba e eu ainda tiver um patrimônio razoável para desfrutar. Enquanto isso, segue a vida.

      Sobre os 2 carros, são realmente necessários. Sei que financeiramente pode não ser a melhor decisão, mas eu e a esposa prrcisamos nos locomover diariamente e a logística ficaria demasiadamente complexa (ou inviável) com um carro só.

      Valeu!

      Abraços

      Excluir
  6. Muito interessante seu post EI.

    Primeiramente parabéns. Excelente tática, visto o patrimônio e sua evolução anual!

    Acho que essa sua Prev Privada é muito interessante, pela contribuição da empresa.

    Só me diga uma coisa : recebe aluguel das três salas comerciais ou usa para seu próprio negócio ?

    Obrigado por compartilhar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Guardião, obrigado pelas palavras.

      A previdência privada acaba valendo a pena considerando a parte da empresa.

      Sobre as salas:

      A primeira foi comprada há mais de 10 anos e é usada pela minha esposa que é profissional liberal.

      A segunda foi entregue no meio do ano passado. Reformamos e faremos a mudança do trabalho da esposa neste primeiro semestre, por estar melhor localizada, então a primeira vai ficar disponível para aluguel.

      A terceira foi comprada como investimento. Foi entregue no ano passado e desde então está para alugar, por enquanto sem interessados, assim como outras dezenas de salas no mesmo prédio.

      Esperando a crise passar pra ver se esta receita de aluguel começa a pingar.

      Os negócios não tem nada a ver com as salas e estão em outra cidade. Como eu disse, não tenho quase nenhuma influência sobre eles, sendo apenas sócio-investidor. Estes negócios geram uma renda passiva com bom retorno sobre o investimento.

      Abraços

      Excluir
  7. Bela evolução, EI!

    Fico na torcida para que alcance seus objetivos para 2016!

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. LdL, obrigado pelas palavras.

      Lhe desejo sucesso também em 2016 e no futuro.

      Abraços

      Excluir
  8. Qual sua idade, nobre amigo?

    ResponderExcluir

 

Seguir por e-mail

Posts Populares

Blogs Favoritos

Estatísticas